PRODUTORES VIVEM TENSÃO DEVIDO A OCUPAÇÕES INDÍGENAS NO PARANÁ

Produtores vivem tensão devido a ocupações indígenas no Paraná 

Suspeita é de que índios do Paraguai estejam se instalando no município Neves já contou nove barracas montadas dentro da lavoura

 Produtores de Guaíra, no Oeste do Paraná, vivem em clima de tensão devido a um aumento das ocupações. Além da insegurança, os agricultores perdem em produção, e as terras estão desvalorizadas na região. A suspeita é de que índios do Paraguai estejam se instalando no município.
De uns tempos para cá, o produtor Simeão Neves, tem perdido o sono. Parte da propriedade foi ocupada por índios. E o produtor enfrenta essa situação há três anos.
Eles já deram um tiro no meu filho. E é sempre assim. Plantamos a soja, e eles cortam. Plantamos o milho, eles corta. E não plantam nada em cima – afirma o produtor.
O produtor levou a equipe do Canal Rural até a área ocupada. Por medida de segurança, a reportagem foi gravada de dentro do carro, em movimento. Mesmo assim, já foi possível entender por que ele está preocupado.
Neves já contou nove barracas montadas dentro da lavoura. Os índios ocuparam 6 dos 80 hectares em que Neves possui com o plantio de soja. A primeira ocupação ocorre em 2010.
Um levantamento feito pela prefeitura de Guaíra mostra a origem do conflito na região. Os índios que estão ocupando propriedades rurais e até terrenos nas cidades de Guaíra e Terra Roxa seriam da etnia Guarani, vindos de Mato Grosso do Sul e Paraguai. Em 2007, não eram mais que 140 instalados no perímetro urbano. Hoje, pelo estudo, são mais de mil. Outro levantamento, feito por uma organização que reúne produtores, comerciantes e mais moradores da região, reforça os dados.
O que se ouve muito pela região, principalmente por parte dos produtores, é que os índios que estão ocupando as propriedades são paraguaios. Eles chegam e se instalam em casas, dentro da plantação.
O prefeito de Guaíra tá assustado com o problema. E muito preocupado também com o que possa acontecer, por causa desta migração.
Se prevalecer o que é vontade da Funai, eu estimo que aproximadamente um terço do município e metade da cidade seriam futuramente demarcados como terra indígena afirma o prefeito de Guaíra, Fabian Vendruscolo.
Mas a preocupação maior é com a segurança na fronteira.
A questão indígena aqui em Guaíra de certa forma coloca em xeque toda a soberania, porque o controle fronteiriço passa a não existir a partir do momento em que o indígena ou o cidadão paraguaio passa a ter livre transito na fronteira – afirma o prefeito.
Não existe ainda nenhum estudo sobre a demarcação de terras indígenas na região.

                  DATA 27/11/2013 AMAMBAI MS