OPERAÇÃO GRANDE TRUQUE DESARTICULA QUADRILHA INTERNACIONAL

OPERAÇÃO GRANDE TRUQUE DESARTICULA QUADRILHA INTERNACIONAL DE DOLEIROS


A Polícia Federal, com o apoio da Receita Federal, deflagrou a Operação Grande Truque, com o objetivo de desbaratar quadrilha internacional de doleiros especializada em realizar operações ilegais de câmbio e de remessas internacionais de divisas ao exterior, o que atinge o Sistema Financeiro Nacional. A operação é resultado de investigação iniciada no ano de 2010, quando a Polícia Federal passou a apurar as movimentações financeiras em nome de doleiros, os quais, naquele momento, já estavam envolvidos em operações suspeitas da ordem de mais de R$ 4,3 milhões de reais em cerca de nove meses, segundo Relatório do COAF - Conselho de Controle de Atividades Financeiras.
Cerca de 180 policiais federais, com apoio de servidores da Receita Federal, deram cumprimento a 30 mandados de busca e apreensão, 14 mandados de condução coercitiva e  três mandados de prisão preventiva, em 12  empresas, como casas de câmbio, importadoras e empresa de segurança privada, e nas residências dos investigados, além de mandados de sequestro de bens. Os locais onde estão sendo realizadas as ações são: Boa Viagem, Areias, Avenida Recife, Afogados, Paulista, Pombos, Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Jaboatão, Goiana, Estância, Olinda, Ibura, Águas Compridas e Pau Amarelo.
A operação foi deflagrada em Pernambuco, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Norte. A quadrilha é investigada por práticas de evasão de divisas (art. 22 da Lei nº 7.492/86 – pena de até seis anos de reclusão), instituição financeira clandestina (art. 16 da Lei nº 7.492/86 – pena de até quatro anos de reclusão), lavagem de dinheiro (art. 1º da Lei nº 9.613/98 – pena de até dez anos de reclusão) e associação criminosa (art. 288 do CP – pena de até três anos de reclusão).
Após quatro anos de investigação, foi possível identificar uma ampla rede de doleiros, com atuação em Pernambuco (24 Mandados de Busca, 11 de Condução Coercitiva e 3 de Prisão Preventiva), no Rio Grande do Norte (2 Mandados de Busca e 1 de Condução Coercitiva), Rio de Janeiro (2 Mandados de Busca e 1 de Condução Coercitiva), Minas Gerais (2 Mandados de Busca e 1 de Condução Coercitiva) e outros países, como BélgicaInglaterra,PortugalItália e China.  A quadrilha é especializada em operações ilegais de evasão de divisas conhecidas como dólar-cabo, pelas quais é possível remeter divisas para instituições financeiras no exterior sem o conhecimento da Receita Federal do Brasil e Banco Central do Brasil.
Ademais, eles operam um sistema de câmbio paralelo, através do qual, transações em espécie são possíveis sem ciência dos mesmos órgãos fiscalizadores. O esquema visa, fundamentalmente, ajudar empresários-importadores a pagarem seus fornecedores no exterior sem registro da Receita Federal do Brasil, a fim de subfaturar as importações, de modo a diminuir ilicitamente valor dos tributos devidos ao Estado.
                    DATA 30/04/2014 RECIFE PE