Investigador de Polícia Civil Executado em Tacurú

POLICIAL CIVIL É EXECUTADO 
AO TENTAR PRENDER 
FORAGIDO EM TACURÚ/MS
Investigador de Polícia Civil Assassinado
José Nivaldo Almeida

O crime aconteceu próximo à residência da vítima quando o investigador tentou prender José Osmar Freitas, vulgo “Veinho”, de 27 anos, que segundo o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS) responde a processos por tráfico, furto e violência doméstica.

O Investigador de Polícia Civil, José Nivaldo Almeida, foi assassinado com pelo menos 03 (três)  disparos com sua própria arma no final da tarde desse domingo, dia 28 de Junho, em Tacurú/MS.


TESTEMUNHA RELATA 
DETALHES DO FATO

Testemunha ocular dos fatos, cujo nome está sendo mantido em sigilo, foi ouvida pela Polícia Civil na noite desse domingo em Tacurú/MS, onde relatou detalhes do crime que presenciou.

De acordo com o depoimento da testemunha, o Policial Civil estava em sua residência, há uns 50 (cinquenta) metros do bar, de onde ouviram-se 03 (três) disparos de arma de fogo. Saindo de sua residência, munido de sua pistola para verificar o ocorrido, tendo se deparado com o foragido, José Osmar Freitas, vulgo “Veinho”, caminhando calmamente pela rua com um revólver em uma de suas mãos.

Segundo relato, a testemunha, disse ainda que os disparos que haviam escutado, teriam sido efetuados por “Veinho” contra um indivíduo de nome “Leandro” que foi atingido em uma das mãos.

Nesse momento o Investigador tentou prender o indivíduo. Teria gritado algumas vezes “Polícia! Policia! Para!”. Onde aparentemente o “Veinho” teria obedecido, parando e erguendo suas mãos, recebendo em seguida voz de prisão. E segurando sua pistola com uma das mãos, o desarmou com a outra, retirando o revólver que estava em sua posse.

Em seguida, durante a abordagem, ordenou que “Veinho” se deitasse “de bruços” no chão. O Policial Civil não percebendo a dissimulação de rendição, foi atacado e empurrando. E revidando a agressão sofrida, o Investigador, teria passado uma rasteira em “Veinho”, que acabou caindo ao solo. Mas mesmo assim, continuou avançando contra o Policial Civil, onde conseguiu tomar sua pistola, vindo a efetuar em seguida 02 (dois) disparos. O ferindo com 01 (um) disparo na altura da barriga e outro possivelmente na perna. A vítima, por reflexo de dor que sentia no momento, ajoelhou-se. Foi quando o assassino encostou a pistola em sua cabeça, vindo a puxar o gatilho e consolidar a execução sumária do Investigador de Policia Civil.

Em seguida, ele percebeu que a vítima mexeu a cabeça. Novamente engatilhou a pistola e disparou. Até o momento não se sabe se esse último disparo acertou a vítima. Mas sabe-se o que o assassino disse, após efetuar esse último disparo: “Isso é para você aprender a não entrar na briga dos outros!”.

De acordo com a testemunha, após executar o Investigador, o assassino fugiu a pé em direção a uma região de chácara, situada na periferia da cidade.

O Investigador de Polícia Civil, José Nivaldo Almeida trabalhava junto a Delegacia de Polícia Civil de Tacurú/MS, há pelo menos 07 (sete) anos. Ele era casado e deixa filhos.

O comandante da 3ª Companhia Independente de Polícia Militar, que tem sede em Amambai/MS, mas é responsável pelo policiamento nesta faixa de fronteira, incluindo Tacurú/MS, o Major Josafá Dominoni, mandou reforçar o efetivo policial no município e região.

Como também, foi deslocada para região, uma equipe de peritos da Delegacia Regional de Polícia Civil de Ponta Porã/MS.

De acordo com o delegado titular de Polícia Civil de Tacurú/MS, Dr. Bruno Trento Hein, todas as forças policiais da região estão empenhadas na tentativa de localizar o criminoso.

O corpo do Investigador de Polícia Civil, José Nivaldo Almeida, foi encaminhado ao IML do município de Ponta Porã/MS.

A Polícia Militar e Polícia Civil solicitam a quem avistar ou souber o paradeiro de José Osmar Freitas, o “Veinho”, para que denuncie, mesmo que de forma anônima.
P R O C U R A D O
José Osmar Freitas
Vulgo "Veinho"

Sua IDENTIDADE será mantida 

no mais absoluto sigilo!


LIGUE PARA:

Delegacia de Polícia Civil de Tacurú/MS
Telefone (67) 3478-1199

Ou

Polícia Militar
ou unidade policial mais próxima 
pelo número 190 

Tacurú/MS, 29 de Junho de 2015