Deputada Flordelis não terá foro privilegiado


 O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, nesta quinta-feira (1º), que as investigações sobre o possível envolvimento da deputada federal Flordelis na morte de seu marido, o Pastor Anderson do Carmo, continuem na primeira instância da Justiça. Com isso, a Polícia Civil do Rio de Janeiro continuará investigando a parlamentar.

 A decisão de Barroso é uma resposta ao Ministério Público do Rio de Janeiro, que enviou o caso para a análise da Corte porque envolve uma parlamentar.
A legislação diz que deputados federais e senadores têm direito ao foro privilegiado, no entanto, o benefício só é concedido quando um crime é cometido em função do cargo.